terça-feira, 12 de outubro de 2010

Voltei a voar .

Olá seres.

      Eu havia sumido, eu sei. Estava sem tempo para continuar... Minhas asas, elas estavam tão cansadas que meu corpo inteiro acabou se desgastando. Acabei percebendo que a vida segue, e não importa se eu continue ou pare de voar. A vida sempre acaba me levando aonde não quero ir. Felizmente ou infelizmente, eu continuo voando a partir de agora. E espero que o peso do mundo não me faça ter medo, os seres humanos me dão medo, a vida é bonita, mas a vida me dá medo. A vida parece ser muito mais bonita quando ficamos só apoiados em uma janela observando as coisas acontecerem. Foda é viver. Conseguir chegar onde se quer chegar. Ok, estou tentando parar de falar de coisas que não sei ao certo o que são. Talvez você me olhe como uma simples borboleta, mas eu enxergo as coisas com realidade demais, ou simplesmente realidade.
      Nesse tempo em que estive fora, me senti tão sozinha que nem parecia que eu sabia voar. Não parecia nem que eu era livre. Mas felizmente, eu sou. Livre pra viver, mas também pra sofrer. Mas estou feliz, ao menos por ainda respirar. Espero que você ainda queira voar comigo.




Voando alegremente como se fosse a primeira vez,

Borboleta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário